Brevet Randonneurs Mondiaux 200 km e Desafios de Governador Valadares 2017 – 2a vistoria

Depois da primeira vistoria (veja aqui), os organizadores também querem brevetar o percurso.

No dia 29/01, contamos com a companhia do Arce e do Rubens, do grupo Exilados, que tem nos ajudado a montar o Brevet e conseguir apoios na região. O Arce pedalou até o primeiro PC, no posto Casa Branca, cerca de 44km. O Rubens fez o percurso de moto e ajudou nas negociações de almoço em Itambacuri.

 

Arce
Rubens

 

 

 

 

 

 

Vamos aos pontos de interesse levantados.

  • Ônibus BH – GV

A empresa Gontijo faz a linha para Valadares, e é bom comprar com antecedência suas passagens. Veja os horários no site da Rodoviária de BH ou da empresa.

Atenção: embora não haja regra específica para transporte de bicicletas, a resolução da ANTT não barra seu transporte. Baixe o banco, leve esticadores e amarre no bagageiro do meio, na barra que divide os compartimentos.

Os funcionários da Gontijo em BH tentaram criar problemas, exigindo nota fiscal com o registro do quadro da bicicleta. Não há essa obrigação para viajar, mas se possuir qualquer documento comprovando que a bicicleta é sua, pode levar também.

Já viajamos em várias outras empresas sem problema, e há empresas como a Cometa que já faz marketing amigo do ciclista.

 

  • Hospedagem

Ficar no ponto de largada tem suas vantagens. O café da manhã bem reforçado no Hotel Planalto II (veja descontos) foi essencial para cumprir bem o dia de pedalada que prometia muito calor, mas começou nublado. A noite foi bem dormida, o wifi do hotel é satisfatório e como estava em quarto individual, colocou a bicicleta dentro do quarto.

  • Percurso e Navegação

Os percursos de bate-volta não exigem navegação. “Siga 103km até Itambacuri, entre na cidade para o Almoço no Restaurante do Diacízio e volte”. Mas conhecer a altimetria do percurso é sempre fundamental. A BR116 já é bem conhecida dos ciclistas de Governador Valadares (GV, ou GOVAL para os antigos rsrs), pois mesmo com um movimento considerável de caminhões, possui acostamentos e terceira faixa (nas subidas) em bom estado. Ali grupos como o Exilados já treinam regularmente.

Neste domingo que pedalei, o movimento não foi diferente do que já encontrei nas estradas saindo e chegando de BH. O segredo é ter atenção redobrada nas pontes (sem acostamento) e no inicio / final das 3as faixas, pois os caminhões vem embalados e pode estar ultrapassando outros. No geral, não tive estresse com os motoristas.

** Há alguns trechos com obstáculos, como bambuzais e terra no acostamento, que obrigam a parar, olhar pra trás e transpor pela pista dos motorizados. No km 357 da BR, mais ou menos 160km do Brevet, há um treco de 1km com muito casco de vidro quebrado, devido a um acidente recente. A recomendação nesses trechos, é mudar de lado na pista e seguir pelo acostamento contrário.

O mesmo vale para as terceiras faixas: se o ciclista quiser, pode seguir pelo acostamento do lado oposto. 

  • Tempo e Hidratação

A organização fornecerá 3 PCs – Pontos de controle. Para o BRM200, o PC1 (44km) e PC3(165km) será no Posto Casa Branca, onde haverá água e frutas. Em Itambacuri, no centro da cidade, haverá o almoço no Restaurante do Diacízio, com self service / água e frutas no buffet. Bebidas devem ser pagas a parte, em dinheiro.

A temperatura alta exigirá que o Ciclista mantenha a hidratação muito, muito bem feita. Há vários postos pelo caminho, com distâncias curtas nos primeiros 50km, onde também há outras opções comerciais nas travessias das cidades de Frei Inocêncio, Mathias Lobato. Nos quilômetros após o PC1 até o PC2, a distância dos postos aumenta. No mapa na página de inscrição, marcamos esses locais. Não deixe de comprar água ou outras bebidas pelo caminho, pois o calor é muito forte. Use e abuse do filtro solar.

 

 

Abaixo, dois vídeos (extremamente amadores, feitos no Windows Movie Maker) com um pouco das características do caminho.

 

Para mais informações e inscrições clique aqui

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta