Tutorial – navegando e gravando percursos no OsmAnd

postado em: Comunicados | 0

Hoje em dia, como complemento às planilhas orientação, muitos clubes oferecem ao randonneur o trajeto de seus brevets em alguma plataforma de compartilhamento de rotas, como RideWithGPS, BikeMap, OpenRunner, entre outros.

Tal recurso é de extrema importância para o planejamento da execução do roteiro, por conterem informações como altimetria, quilometragem dos PCs e possibilidades de pontos de apoio. Com os cada vez mais completos e atualizados bancos de dados de imagens de satélite e do Google Street View, é possível estudar com muita precisão os pontos mais importantes de conversão, descobrindo e decorando referências de orientação para o momento do brevet em si.

Consideramos fundamental esse estudo prévio, e até lamentamos que muitos randoneiros desperdicem essa oportunidade de estudo que a tecnologia nos traz. Realizamos anualmente brevets com partida da cidade de Belo Horizonte e que acabam exigindo uma boa dose de navageção urbana, e percebemos que é muito comum o ciclista se perder no trajeto – por vezes compromentendo sua possibilidade de brevetar – justamente por ter pulado a etapa do “dever de casa”.

Evidente que há ferramentas que podem auxiliar “ao vivo”, garantindo uma execução mais fiel do roteiro proposto, como complemento às planilhas e ao estudo prévio. Usuários de dispositivos GPS como Garmin podem baixar os arquivos fornecidos pelos clubes para que o próprio dispositivo guie a orientação – seja ponto a ponto, seja visualmente pelo mapa na tela, seja com alarme de rota. É preciso experimentar: por vezes, o arquivo disponibilizado para download pelas plataformas não vem no formato que seu GPS reconhece, ou não traz todas as informações como posição dos PCs. Uploads para utilitários online como GPsiesGPSvizualizer e até o WikiLoc podem “trabalhar” esses arquivos e oferecer novas possibilidades de download que atendam ao seu dispositivo. Recomendamos pesquisar, pois sempre tem jeito de transformar aquele arquivo que seu aparelho não está reconhecendo, em um que seja legível e completo.

Aos que não possuem dispositivos dedicados de GPS, mas dispõem de celular com Android, é possível, também, fazer uso de navegação “ao vivo”. Os aplicativos RideWithGPS e WikiLoc, nas versões pagas, orientam ponto a ponto. O aplicativo OruxMaps, antigamente gratuito mas hoje pago, oferece o recurso de carregar o GPX na tela (assim como o wikiloc na versão gratuita), fornecer alarme de rota e alarme de waypoints, sem navegação ponto-a-ponto. Porém, apresentar a rota sobre o mapa com sua atual posição GPS já é bem prático e atende a grande maioria dos casos – é a maneira preferida de alguns de nós.

Pensando na possibilidade de o randoneiro usar um app gratuito que navegue ponto-a-ponto, criamos o tutorial abaixo para o OsmAnd – que oferece também o download de mapas offline e gravação do percurso em GPX – que você pode utilizar para mandar para sua rede preferida de compartilhamento de treinos/roteiros , como Strava, Endomondo, WikiLoc, Garmin Connect, etc.

O tutorial segue abaixo em 18 printscreens do celular, com as orientações. Você pode também baixar/visualizar a versão em PDF aqui.

 

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta